Guerra na Ucrânia… Quais os impactos na Economia?

Guerra na Ucrânia… Quais os impactos na Economia?

Depois de dois anos de pandemia, surge uma guerra na Europa. A economia europeia, ainda não teve tempo de recuperar da pandemia e estando a apresentar sinais dum crescimento da inflação, vê-se agora confrontada com um novo e grave problema.

Nas últimas semanas o conflito entre Rússia e Ucrânia, tem merecido a atenção de todo o mundo.
Quais os efeitos económicos desta guerra?
– Nos países beligerantes.
– E no resto da Europa.

E ficar-se-á só pela Europa?

A crise provocada pela guerra entre estes 2 países, pode durar meses e trazer uma grande instabilidade económica. Numa situação extrema, o conflito pode espalhar-se e provocar uma 3ª guerra mundial, com consequências imprevisíveis.
Em qualquer das situações, os efeitos serão sempre negativos. A dimensão dos efeitos é que será diferente.

Fase inicial do conflito armado
Estamos numa fase inicial do conflito armado e o atual cenário macroeconómico já apresenta mudanças. As variáveis externas, com as alterações fruto do conflito armado na Ucrânia, irão afetar bastante os planos das empresas.
Senão vejamos:
– A Rússia é a nível mundial, o terceiro maior produtor e o segundo maior exportador de petróleo. Um conflito envolvendo o país, prejudicará o fornecimento deste produto.
– A União Europeia importa da Rússia, 40% do gaz e 30% do petróleo.

Por isso, o início deste conflito, bem como a imposição de sanções a Moscovo, terão efeitos negativos sobre o setor energético da zona Euro.

Com a Rússia sob sanções, o fornecimento de petróleo e gaz do país, para as demais nações europeias será prejudicado. Devido a essa dependência do gaz natural russo, um corte no fornecimento terá sérias implicações, na atividade económica na Europa.
Por sua vez, o preço do petróleo tem também um impacto direto na economia. Ocorrerá de imediato, um aumento dos preços de energia. Em termos internacionais, o aumento nos preços da energia, terão um efeito de desacelerar a atividade económica.

Por exemplo:
Se o barril de petróleo chegar a US$ 120, podendo até ultrapassá-lo, isso terá um efeito na redução de compra do mesmo e consequente impacto económico nas economias locais, dos países que irão reduzir o consumo.

Haverá uma contração na atividade económica desses países, nas suas exportações, nos rendimentos desses países, no aumento das suas taxas de desemprego, na dimensão dos seus mercados internos, …

Para além deste aspeto, a Rússia e a Ucrânia, juntas, produzem,…
– 30% De todo o trigo mundial,
– 19% Do fornecimento mundial de milho, e
– 80% Das exportações mundiais de óleo de girassol.

Com a iminente redução destes produtos nos mercados, os seus preços tendem a valorizar-se. Portanto, é claro que por causa do conflito, os preços dos combustíveis e dos alimentos vão aumentar. Já é possível ver o aumento do preço do petróleo, do gás natural, da eletricidade e até em alguns produtos alimentares.

Embora até este momento, as tensões permaneçam localizadas na Ucrânia, as repercussões económicas globais, provavelmente serão dominadas pela escala e pela duração do conflito. Teme-se pois um aumento da inflação, resultante da elevação nos preços internacionais do petróleo e dos alimentos.

As repercussões económicas adversas, deste conflito, serão consideravelmente maiores no continente do que em qualquer outra região, em virtude da dependência da Europa destas commodities (petróleo, gaz, cereais).

Perante um período de guerra mais prolongado, prevê-se que haja uma queda de investimentos e uma redução na atividade económica mundial e, particularmente da europeia.

Se houver queda na atividade económica europeia, que é uma forte possibilidade, isso trará impacto bastante negativo. Com a redução da atividade económica da Europa, as exportações nacionais devem sofrer uma queda.

Mas, ninguém escapará ao choque negativo provocado por este conflito. O conflito terá pois um impacto sobre a economia mundial. Provocará, …

– Um aumento da inflação,
– Uma queda na atividade económica e
–  Juros mais altos
Os próximos efeitos vão depender da amplitude do conflito militar. Os preços da energia provavelmente subirão ainda mais no caso de uma nova escalada na situação.

A economia mundial está toda ligada. Nenhum país é uma ilha autos suficiente. Os problemas dumas economias, irão direta ou indiretamente refletir-se nas outras economias. Todos os países serão afetados de alguma forma.

No ano passado, não tínhamos este conflito armado na Europa, e mesmo assim o petróleo teve um aumento de mais de 40%.
Agora, fruto da guerra, estamos colocados perante novos aumentos. Além disso haverá um aumento pelas razões já expostas nos preços dos produtos alimentares.

Na 2ª guerra mundial, a inflação atingiu valores exorbitantes em alguns países. Todos foram afetados pela guerra, uns mais, outros menos, mas os países mais afetados, tiveram taxas de inflação enormes. As populações sofreram com a guerra e com os efeitos económicos da mesma, com inflação, pobreza, desemprego, …

Estaremos a repetir esse mesmo caminho?

Um conflito prolongado, com impacto de vários meses nos preços dos principais produtos referidos (commodities) e na confiança económica, pode criar riscos de recessão.

Enfrentaremos pois uma subida da inflação.

Para quem já não está recordado dos tempos de inflação, convém recordar o seguinte:

A inflação segue os efeitos da lei da oferta e da procura, na economia. Quando a oferta diminui, a tendência natural é que os preços subam.

A subida de preços traduz-se, neste caso, em menos poder de compra das populações. A inflação agrava a pobreza.

Resumindo, poderemos dizer que o problema duma inflação elevada, terá como grandes consequências, as seguintes:
– Perda do poder de compra das famílias.
– Redução dos investimentos das empresas,
– Custos mais elevados.
– Incerteza sobre a economia, o que pode levar a adiar sine die projetos
– Desemprego.
– …

Portanto, o aumento das pressões inflacionistas e a redução das perspetivas de crescimento económico, serão alguns dos efeitos imediatos desta guerra, na economia.

Embora, nesta fase inicial, a inflação não se encontre descontrolada, ela mostra já, perda de poder de compra e o aumento do custo de vida. Quanto maior ela for, maior será o sofrimento que irá provocar aos titulares de rendimentos mais baixos, em virtude da maior redução do poder de compra, que irá provocar.

As pressões inflacionistas, resultantes da guerra, terão também implicações na política monetária, com impacto no aumento das taxas de juro.

Daqui resultará pois, uma natural subida da taxas de juro e um menor crescimento económico. Os juros mais altos poderão levar a uma desaceleração adicional da economia.

Que política monetária a adotar pelo BCE?

No atual cenário, com a inflação a subir, o BCE poderá ver-se obrigado a aumentar as taxas de juro de forma agressiva.
A ocorrência duma inflação alta e duma recessão da economia, em simultâneo – poderá levar a grandes discussões dos responsáveis do BCE durante os próximos tempos.

Que soluções a adotar, para que a política monetária do Banco central Europeu (BCE), consiga combater a inflação sem empurrar a economia par uma recessão, com a redução da atividade económica?

A busca por ativos de maior segurança
Em momentos de incerteza, os grandes investidores fogem dos ativos considerados de maior risco – para comprar outros considerados como mais seguros.
Ora, a invasão das tropas russas sobre o território ucraniano, causou por essa razão, impactos económicos nos preços de ativos considerados mais seguros. Assim, as cotações de dólar e do ouro dispararam. Nos últimos dias, tem-se visto uma escalada dos preços do ouro.

Perante estes factos, Como se está a preparar a sua empresa?

Convém elaborar estratégias alternativas para Diferentes Cenários Possíveis, …
Se as previsões são incertas, para não tomar decisões precipitadas, o melhor será elaborar estratégias alternativas, para diferentes cenários possíveis.
Chegou então a hora de utilizar a Simulação de Cenários, para melhorar as suas decisões empresariais!
– Quais os fatores externos que têm mais impacto no seu negócio?
– Como é que a sua empresa se irá comportar com as mudanças, nessas variáveis?
– Já tentou ver o impacto de diferentes cenários na sua situação económica e financeira, da sua organização?
– O que pode fazer para minimizar o problema?

Analise a situação, perante estes cenários, com a sua equipa.
Estes problemas vão afetar toda a equipa empresarial.

Por Agostinho Costa (Formador ENB, Consultor de Gestão, Especialista em Gestão Financeira, Controlo de Gestão, Gestão de Créditos e Cobranças.)

 

 

 

Poderá ser do seu interesse:

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.